segunda-feira, 26 de abril de 2010

O PROGRESSO - ROBERTO CARLOS

Muitas músicas de Roberto Carlos são para mim canções eternas que falam de inquietações como esta música que fala do custo ambiental do progresso humano. Todo mundo ama a natureza, mas ninguém abre mão das comodidades da vida moderna e do progresso.

Roberto Carlos protesta dizendo que o OURO NEGRO do petróleo é na verdade um NEGRO VENENO. O refrão da música é uma conscientização de que os animais são mais civilizados que os homens. Os homens em nome do progresso estão na iminência de destruir o planeta de uma só vez e em um instante.

Esta música é uma crítica a vida moderna que ameça a vida dos outros seres vivos, de que o nosso conforto está pondo em risco os animais aquáticos, das florestas. Roberto Carlos também diz não entender porque as guerras, ele lastima a sua própria conduta ao dizer que gostaria de abraçar o seu maior inimigo e dizer coisa que o fizesse ficar bem consigo.

Esta música é uma confissão da Humanidade revelando suas impossibilidades de viver em harmonia com o mundo em sua volta e consigo mesmo. A música termina com um apelo ao BOM SENSO.









O Progresso

El progreso

Eu queria poder afagar uma fera terrível
Yo quisiera poder aplacaar una fiera terrible
Eu queria poder transformar tanta coisa impossível
Yo quisiera poder transformar tanta cosa imposible
Eu queria dizer tanta coisa
Yo quisiera decir tantas cosas
Que pudesse fazer eu ficar bem comigo
Que pudieran hacerme sertir bien conmigo
Eu queria poder abraçar meu maior inimigo
Yo quisiera poder abrazar mi mayor enemigo
Eu queria não ver tantas nuvens escuras nos ares
Yo quisiera no ver tantas nubes oscuras arriba
Navegar sem achar tantas manchas de óleo nos mares
Navegar sin hayar tantas manchas de aceite en los mares
E as baleias desaparecendo
Y ballenas desapereciendo
Por falta de escrúpulos comercias
Por falta de escrúpulos comerciales
Eu queria ser civilizado como os animais
Yo quisiera ser civilizado como los animales

Eu queria ser civilizado como os animais
Yo quisiera ser civilizado como los animales

Eu queria não ver todo o verde da terra morrendo
Yo quisiera no ver tanto verde en la tierra muriendo
E das águas dos rios os peixes desaparecendo
Y en las aguas del río los peces desapereciendo
Eu queria gritar que esse tal de ouro negro
Yo quisiera gritar que ese tal oro negro
Não passa de um negro veneno
No es más que un negro veneno
E sabemos que por tudo isso vivemos bem menos
ya sabemos que por todo eso vivimos ya menos

Eu não posso aceitar certas coisas que eu não entendo
Yo no puedo aceptar ciertas cosas que ya no comprendo
O comércio das armas de guerra da morte vivendo
El comercio de armas de guerra de muertes viviendo
Eu queria falar de alegria
Yo quisiera hablar de alegria
Ao invés de tristeza mas não sou capaz
En vez de tristeza mas no soy capaz
Eu queria ser civilizado como os animais
Yo quisiera ser civilizado como los animales
Eu queria ser civilizado como os animais
Yo quisiera ser civilizado como los animales
Eu queria ser civilizado como os animais
Yo quisiera ser civilizado como los animales

Não sou contra o progresso
No estoy contra el progreso
Mas apelo pro bom senso
Si existiera un buen consenso
Um erro não conserta o outro
Errores no corrigen otros
Isso é o que eu penso
Eso es lo que pienso

Eu não sou contra o progresso
Yo no estoy contra el progreso
Mas apelo pro bom senso
Si existiera un buen consenso
Um erro não conserta o outro
Errores no corrigen otros
Isso é o que eu penso
Eso es lo que pienso





ouça suas músicas no letras.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário