segunda-feira, 26 de abril de 2010

CACHIMBO DA PAZ

"...manda a fumaça do cachimbo para a cachola..."

Como Gabriel quer nos despertar para uma consciência mais crítica e saudável quando ele mesmo nos convida para fumar maconha????


Todo mundo tem idéias mirabolantes para melhorar o mundo, mas idéias como esta de Gabriel são dispensáveis. Sua música incentiva o uso de maconha, vem com uma roupagem de que a maconha não é tão mau, afinal os índios fumam...

Esta música no tempo de sucesso era Hino Nacional dos Maconheiros. Ela deveria sim ser proibida por ser Apologia ao crime. Estamos cansado de ver adolescentes começarem com drogas leves como a maconha e terminarem como uns moribundos no crack, sem vida, sem alma, sem sentimentos.

O ocidente confunde pra valer o sentido da palavra Liberdade com Libertinagem, democracia com liberação de atividades perniciosas.

Resultado: Famílias destruídas, a falta de amor e a cobiça campeiam as relações humanas.


Gabriel o Pensador sugere na letra da sua música que a empresa SOUZA CRUZ estaria por trás da campanha contra descriminalização da maconha, porque ela não quer concorrência com o cigarro. O que está em jogo, meu caro Gabriel, não são os negócios do mundo do cigarro e das drogas, mas o conceito ético do que é bom e do que é ruim. Cigarro é mal e maconha também é mal.


O fato de índios fumarem só mostra que o que nãqo presta e o que é mal, está generalizado em todos os povos e culturas.




------------------------




Cachimbo da Paz

A criminalidade toma conta da cidade
A sociedade põe a culpa nas autoridades
Um cacique oficial viajou pro Pantanal
Porque aqui a violência tá demais
E lá encontrou um velho índio que usava um fio dental
E fumava um cachimbo da paz
O presidente deu um tapa no cachimbo e na hora
De voltar pra capital ficou com preguiça
Trocou seu paletó pelo fio dental e nomeou
O velho índio pra ministro da justiça
E o novo ministro chegando na cidade,
Achou aquela tribo violenta demais
Viu que todo cara-pálida vivia atrás das grades
E chamou a TV e os jornais
E disse: "Índio chegou trazendo novidade
Índio trouxe o cachimbo da paz

Maresia sente a maresia
maresia, uuu...
Apaga a fumaça do revólver, da pistola
Manda a fumaça do cachimbo pra cachola
Acende, puxa, prende, passa
Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Todo mundo experimenta o cachimbo da floresta
Dizem que é do bom, dizem que não presta
Querem proibir, querem liberar
E a polêmica chegou até o congresso
Tudo isso deve ser pra evitar a concorrência
Porque não é Hollywood mas é o sucesso
O cachimbo da paz deixou o povo mais tranqüilo
Mas o fumo acabou porque só tinha oitenta quilos
E o povo aplaudiu quando o índio partiu pra selva
E prometeu voltar com uma tonelada
Só que quando ele voltou "sujou"!!!
A polícia federal preparou uma cilada
“O cachimbo da paz foi proibido, entra na caçamba vagabundo!
Vamô pra DP! Ê êê! Índio tá fudido porque lá o pau
Vai comer!"

Maresia sente a maresia
maresia, uuu...
Apaga a fumaça do revólver, da pistola
Manda a fumaça do cachimbo pra cachola
Acende, puxa, prende, passa
Índio quer cachimbo, índio quer fazer fumaça

Na delegacia só tinha viciado e delinquente
Cada um com um vício e um caso diferente
Um cachaceiro esfaqueou o dono do bar porque ele
Não vendia pinga fiado
E um senhor bebeu uísque demais, acordou com um travestí
E assassinou o coitado
Um viciado no jogo apostou a mulher, perdeu a aposta
E ela foi sequestrada
Era tanta ocorrência, tanta violência qu

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Em momento algum ele faz apologia ao crime. Pelo contrário, ele cita vários casos de como "drogas legais" causam muito mais danos, e critica o tráfico no final. Tente se informas a respeito da cannabis e o que ela causa.

    ResponderExcluir